Imagem e marketing pessoal: uma questão de identidade e percepção
imagem-e-marketing-pessoal-roberta-medeiros

Quando devo começar a fazer o meu marketing pessoal?
Essa é uma pergunta que muitas pessoas me fazem. Roberta, quando devo começar a agir? Qual o melhor momento para colocar em prática as minhas estratégias de marketing pessoal? Bom, na verdade você já começou! Meus coachees não entendem que a todo momento estão trabalhando sua imagem, definindo sua identidade e deixando transparecer para as pessoas ao seu redor. Todos nós estamos. Esse é um exercícios que fazemos de forma espontânea.

 

O que você, assim como os meus coachees, devem começar a considerar é a relação que têm com a sua imagem e o marketing, através da gestão desses termos. Tomar cuidado com sua imagem para melhor gerenciá-la e, consequentemente, fazer um marketing mais apropriado. Para isso, é importante ter noção da real imagem que transparece.

 

Esse gerenciamento é o primeiro passo para uma gestão de marketing pessoal. Funciona assim: antes de ter, você precisa decidir ter. Em outras palavras: antes de ter o mundo, você precisa decidir ser o melhor. Tudo na vida é uma simples questão de escolha e atitude. Sendo assim, ter uma noção verdadeira da sua identidade torna-se primordial para o seu profissional diante do mercado de trabalho.

 

A parábola do gato

 

Era uma vez um homem chamado Qi Yan, um dia ele ganhou um gato e, achando-o muito raro, deu-lhe o nome de Gato Tigre. Um dos seus convidados ficou fascinado com o animal e disso-lhe: – Bravo como um tigre, mas não tão vigoroso quanto um dragão. Por que não chamá-lo de Gato Dragão? Outro emendou: – Quase ninguém duvida que um dragão seja mais vigoroso que um tigre, mas o dragão precisa do apoio das nuvens para elevar-se aos céus. Não seriam as nuvens mais nobres que o dragão? Seria melhor chamá-lo de Gato Nuvem.

 

Um terceiro convidado complementou: – É verdade que as nuvens podem cobrir os céus, mas elas se espalham e se enfraquecem quando o vento forte aparece. O vento sim é mais poderoso que as nuvens, então chame-o de Gato Vento. Um quarto argumentou: – Entretanto, por mais forte que seja o vento, ele é bloqueado quando encontra uma parede. Gato Parede seria muito melhor…

 

Um quinto convidado fez a sua sugestão: – Olha, por mais que uma parede seja sólida, um rato pode fazer um buraco nela. Sendo assim, uma parede não será mais resistente ao vento se ela estiver cheia de buracos. Como pode uma parede competir com um rato? Meu conselho é chamá-lo de Gato Rato.

 

Um velho sábio da aldeia acompanhava a discussão de perto e começou a gargalhar: – Ah! É o gato que caça o rato. Um gato é um gato. Por que se preocupar em dar-lhe um nome para depois de tudo fazê-lo perder a sua identidade? – Conto chinês do século II

 

Identidade e diferencial de mercado

 

A parábola mostrou que não adianta ter um nome, uma imagem, se esta não representa o que realmente você é, qual a sua verdadeira identidade. Identidade é a qualidade de idêntico. É o conjunto de características particulares, que torna possível reconhecer uma pessoa como única. Ou seja, diferenciá-la dos outros indivíduos. Por isso, é muito importante pensar naquilo que lhe torna única: Qual o seu maior diferencial no mercado de trabalho hoje? Por qual característica as pessoas que trabalham com você te reconhecem? Pense nisso, e boa semana! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *