Motivação: capricho ou necessidade?
motivação - roberta medeiros

“Quanto mais saudáveis nós somos emocionalmente, mais importantes se tornam nossas necessidades de preenchimento criativo no trabalho. Ao mesmo tempo, menos nós toleramos a violação de nossas necessidades para tal preenchimento. “ – Abraham H. Maslow

 

A teoria da Liderança Situacional possibilita acelerar o desenvolvimento de um funcionário, permitindo que este assuma o estado de maturidade e que, cada vez mais, exerça suas atividades de forma autônoma. Quer saber sobre essa teoria? Acesse: por o link do artigo sobre liderança situacional).

Você sabia que a autonomia e a iniciativa são vistas como principais fatores da MOTIVAÇÃO. Mas, afinal o que realmente é o motivação?

 

Lá vem ela, a Motivação!

 

A palavra motivação vem do latim movere, que significa mover. Portanto, a MOTIVAÇÃO é tida como um conjunto de forças internas que impulsiona e mobiliza o indivíduo para atingir um determinado objetivo, como resposta a uma determinada necessidade, carência ou desequilíbrio. Faz com que ele atinja algo de forma orientada.

 

Partindo desse conceito e aplicando-o no mercado de trabalho, é importante perceber os colaboradores que possuem a iniciativa para oferecer o seu melhor no ambiente  corporativo. Esta iniciativa, por sua vez, deve ser valorizada e nutrida em um colaborador, para que se desenvolva e venha a trazer melhores resultados para a empresa.

 

Hierarquia das Motivações

 

Abraham Maslow, psicólogo e fundador da psicologia humanista, defende que o indivíduo passa das necessidades básicas, como se alimentar, para as necessidades superiores, como as cognitivas ou estéticas. Ele estabelece uma estrutura hierárquica das necessidades, na qual torna-se impossível satisfazer uma de nível superior, se as de nível básico não forem supridas. Confira abaixo a Hierarquia das Motivações, por ordem crescente:

 

  1. Necessidades Fisiológicas: água, luz solar, alimento, oxigênio, sexo, alojamento.

 

  1. Necessidades de Segurança: estar livre do medo e das ameaças, de não depender de ninguém, de autonomia, de não estar abandonado, de proteção, de confidencialidade, de intimidade, de viver em um ambiente equilibrado.

 

  1. Necessidades de Afeto ou de Pertença: afiliação, afeto, companheirismo, relações interpessoais, conforto, comunicação, dar e receber amor.

 

  1. Necessidades de Auto Realização e Criatividade: autoexpressão, utilidade, criatividade, produção, diversão e ócio.

 

  1. Necessidades Cognitivas e de Curiosidade de Conhecer o Mundo: saber, inteligência, estudo, compreensão, estimulação, valia pessoal.

 

  1. Estéticas: realização de possibilidades, autonomia pessoal, ordem, beleza, intimidade, verdade, objetivos espirituais.

 

Se tivermos fome (necessidade básica: fisiológica), por exemplo, somos incapazes de darmos atenção a atividades estéticas. Esta teoria se estende a qualquer atividade humana. Maslow afirma também que todos os homens aspiram auto realização plena das suas potencialidades.

 

Motivação e ambiente de trabalho

 

Uma pessoa para estar motivada precisa sentir orgulho de si mesma, acreditar nas suas capacidades! Estar satisfeita com aquilo que faz e superar desafios, seja no âmbito profissional quanto pessoal. Sendo assim, é imprescindível que o gestor crie o ambiente no qual as pessoas tenham autonomia e iniciativa. Com pequenas atitudes é possível tornar esse ambiente mais dinâmico e proativo. Se o ambiente ou o entorno não possibilitar a prática dessas capacidades, esse colaborador se sentirá frustrado. Faz sentido?

 

Os líderes podem comemorar aniversários, promover encontros com funcionários, fazer painel com foto dos aniversariantes, ginástica laboral, mural de piadas, e muitas outras coisas que venham a promover um ambiente mais leve e saudável. A intenção é mudar a percepção dos colaboradores em relação a empresa e, assim fazer com que cheguem no horário, tenham novas ideias, trabalhem com mais disposição e produzam melhor.

Mas para que tudo isso aconteça, o colaborador precisa estar disposto e querer! Como despertar?

Só ele terá a capacidade de perceber o que o desperta para ir ao encontro de suas motivações! Mas fica uma dica: se você promover um ambiente de confiança, o primeiro e um dos principais passos já foi dado! Quer experimentar na prática?

 

Que tal colocar em prática? Como promover um ambiente seguro para desenvolver e criar ideias? Onde as pessoas se sintam autoconfiantes e valorizadas? Vai pensando por aí quem em breve falaremos mais sobre esse assunto!

 

Se gostou desse texto curta, compartilhe e marque seus amigos. Obrigada e um ótimo dia! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *