Vantagens do Autoconhecimento e Autogerenciamento – Conheça agora!
autoconhecimento-autogerenciamento-roberta-medeiros

A pessoa que possui a habilidade do  autoconhecimento e autogerenciamento reconhece suas limitações, pontos fortes e fracos, assim como desenvolve uma sensibilidade mais aguçada, que a possibilita enxergar qualidades e defeitos em si, nos outros trazendo mais maestria pessoal nos relacionamentos e na resolução de problemas. Desta forma, consegue gerenciar de forma assertiva os problemas  ao ponto de conseguir o melhor de si e de cada indivíduo nos diferentes contextos sociais.  

 

O autoconhecimento é o primeiro passo para o processo de mudança pessoal, já o autogerenciamento permite uma melhor organização das suas competências, em prol de alcançar um objetivo, uma meta. Tanto na vida pessoal quanto profissional, são inúmeras as vantagens de se dominar essas duas habilidades. A seguir, irei apresentar 4 (quatro) delas, consideradas essenciais nessa jornada: autoaceitação, autorrespeito, autoestima e engajamento.

 

Autoaceitação

 

O processo de Autoaceitação consiste em admitir e reconhecer todos os nossos comportamentos, como um fato, uma forma de ser e sentir. Somente através da aceitação é possível transformar o que é preciso ser transformado. Quando aceitamos o que somos, de forma plena e sem condições, estamos mais suscetíveis a mudar aquilo que está impedindo nosso crescimento pessoal, além de reforçar e lapidar tudo que pode ser melhorado.

 

Autorrespeito

 

Uma pessoa que se Autorrespeita tende a valorizar ações que a façam sentir-se orgulhosa de si mesma, além de atender e satisfazer as próprias necessidades e valores. Sabe se expressar e manejar, de forma conveniente, seus sentimentos e emoções sem provocar-se danos ou culpa.

 

Autoestima

 

Intimamente relacionada a autoaceitação e ao autorrespeito, a Autoestima é um resumo de todas as vantagens anteriores. Se uma pessoa se conhece e está consciente de suas mudanças, cria sua própria escala de valores e desenvolve suas habilidades. Ela se aceita como é e tem respeito pela sua pessoa. Isso faz com que tenha uma autoestima sadia, que se refletirá de forma positiva em todos os campos da sua vida.

 

Ao contrário, quando uma pessoa não conhece sua força, habilidades e comportamentos (não tem um conceito formado sobre si mesma), ela não se aceite e nem se respeita e, consequentemente, possui uma baixa autoestima. Isto porque, a autoestima é o que sentimos sobre aquilo que somos, ou pensamos ser. É a visão mais íntima que cada ser possui de si, o julgamento que faz sobre sua capacidade de lidar com os desafios e imprevistos da vida. Além disso, é sobre o direito de ser feliz (respeitar e defender seus direitos e necessidades).

 

A Autoestima pode ser sintetizada no sentimento de competência e valor pessoal, um produto da autoconfiança e do autorespeito.

 

Engajamento

 

Engajar seus colaboradores é um dos grandes desafio das organizações quanto a obtenção de resultados. No dia a dia das empresas, é comum observarmos diversos obstáculos, cobranças e mudanças a serem implantadas, assim como situações em que as pessoas dividem responsabilidades, angústias e desafios.

 

Profissionais de diferentes áreas e níveis de maturidade buscam por um espaço para inovar e implantar novas ideias. Somente quando seus objetivos e propósito de vida estão alinhados com o da empresa é que  as pessoas buscam fazer a diferença, realmente vestir a camisa da empresa.

 

Para conseguir pessoas engajadas, seja na vida profissional ou pessoal, é necessário conhecer seu cenário atual e expectativas de vida. Isso ajuda a criar uma conexão com os aspectos intangíveis da organização, tais como: cultura organizacional e qualidade de vida.

 

Se você gostou desse texto, então curta, compartilhe e marque seus amigos. Obrigada, até!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *